Itaka Escolapios Itaka Escolapios

Há canções… e canções

Fecha: Friday, 22 de October de 2021

Areas:
Coeducação

Edad:

  • 12-14 años
  • 14-16 años
  • 16-18 años

Objetivos :

  • Refletir sobre a presença de valores nas canções, tais como igualdade e justiça, mas também de estereótipos e preconceitos sexistas.
  • Incentivar a reflexão e a internalização de valores de forma motivadora por meio das canções.
  • Promover os valores da não violência, da igualdade, da justiça...
  • Identificar e compreender o papel desempenhado e que exercem muitas pessoas que se dedicaram / se dedicam à música em nossa sociedade, colocando-a ao serviço de uma causa: a conquista dos direitos humanos para toda a humanidade.

Valoración:

(Ninguna valoración todavía)
Loading...

Mais de 80% dos estudantes de ESO (ensino secundário) reconhecem que ouvem música todos os dias, portanto, trabalhar em sala de aula com suas canções favoritas será uma das melhores maneiras de estimular a participação, incentivando o debate, a reflexão e a troca de opiniões. 

A marcha em Washington aconteceu em 28 de agosto de 1963, 50 anos atrás, em que Joan Baez e Bob Dylan estavam entre os cantores que colocaram suas vozes a serviço de uma causa: a luta pelo pleno acesso aos direitos civis e a Igualdade perante a lei para grupos que não os tinham. Agora, temos 50 anos de música interpretada por mulheres e homens que lutam pela igualdade, justiça e solidariedade.

Entretanto, esses valores nem sempre são transmitidos através da música, e muitos estereótipos e preconceitos sexistas ainda estão presentes em canções que ouvimos regularmente e que presumimos ser normais.

Em cada uma das canções é muito importante fazer uma análise dos diferentes papéis atribuídos a cada sexo e descobrir através de perguntas: como eles vivem em seu processo de socialização. Em todos os comentários onde aparece o conceito "um jogo, cor, esporte, roupa, profissão... para meninos ou... é para meninas", devemos refletir se jogos, roupas, esportes, profissões... "têm sexo" e se é possível jogar qualquer jogo, com qualquer brinquedo, ou usar qualquer artigo de roupa, ou praticar qualquer esporte, ou realizar qualquer atividade, independentemente do sexo.

Para o desenvolvimento desta atividade, começaremos com a exibição de alguns vídeos de reggaeton da escolha dos alunos e, em seguida, analisaremos o conteúdo de suas imagens e letras sob uma perspectiva de gênero.  Após a reflexão do grupo, eles serão convidados a compartilhar outros gêneros de música ou canções que possam ter conteúdo machista.

Em seguida, serão exibidos os vídeos de duas baladas bem conhecidas: “Every Breath You Take”, de The Police, e “Delilah”, de Tom Jones, dando-lhes suas letras em papel, que deverão traduzir e analisar em pequenos grupos. 

Você também pode ouvir outras canções atuais que reproduzem estereótipos femininos atuais e relações tóxicas, como por exemplo:

“Love de way you lie”, de Rihanna e Eminem

“Hey, mama” de David Guetta e Nicki Minaj

A atividade termina respondendo a uma série de perguntas provocadoras de pensamento, tais como: você acha que apenas o reggaeton é um gênero musical machista? você acha que a música ou cantar uma canção pode normalizar a violência contra as mulheres? você acha que a música incita a violência? deveríamos prestar mais atenção à letra das canções? 


Esta atividade é parte da Campanha de Solidariedade 21-22: